Total de visualizações de página

terça-feira, 24 de abril de 2012

Réquiem



Somos espíritos imortais que se procuram eternamente na erraticidade.
Cultivo para ti o melhor do sentimentos.
Guardo-o para ti e para ninguém mais.

Pois, mais ninguém o cultiva.
E mais ninguém o merece.  

Tu és meu réquiem de amor.
Tu és ele e mais ninguém.

2 comentários:

Ivan Silva disse...

Belo poema, mana!

Caucuz disse...

Valeu guri! beijo