Total de visualizações de página

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Ladrão de versos

Charles Baudelaire- Tela de Courbet

Cubriu meu corpo nu com as palavras doces que saiam de sua boca.
Amou-me com os beijos e os olhares que queimavam minha pele.
Sou tua musa. És meu poeta.
O amante do meu corpo. O amor do meu coração. O alimento da minha alma.
Ele me alegra. Ele me acalma.
Ele me desconstrói, me devora e me reescreve como um verso sem fim.
Doçura que encanta.
Meu ladrão de versos, meu escritor reverso.

Nenhum comentário: