Total de visualizações de página

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

O tempo passa tão devagar



Já posso sentir o gosto da água salgada rodopiando no céu da minha boca.
Minha língua roça entre os meus dentes com o desejo de cantarolar.


Cansei dessa doçura enjoativa que amarga no final.
Vejo os olhares que me devoram, me engolem e me lambem feito nuvem de algodão.
Ou seria floco de neve?


Desenho borboletas pelo meu corpo....
Queria que elas me ensinassem a voar.


Fico horas observando a chuva,
feito gato com medo de água, com medo do mundo.


A liberdade dos ventos me chama. Acho que vou jogar flores no ar.
Quero que a tempestade que se aproxima me cubra com os sons dos trovões.


É caminhando que se aprende.......


Nada nessa vida é certo!
Não quero nada... nada .... nada além do cheiro do café, do chocolate e da terra molhada lá fora. 


O tempo passa tão devagar .........

3 comentários:

Ivan Silva disse...

Com o cheiro da terra molhada soltei um suspiro...

Marcos Alves Lopes disse...

senti o gosto de sesta. Depois de comer... deitar naquela rede e dormir. "na rua, na chuva, na fazenda"!

Alexandre Mendes disse...

"Nada nessa vida é certo!"
Só a morte...o resto nos surpreende,a todo momento.