Total de visualizações de página

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Bom presságio



Doce esperança repetia mil vezes para si mesma:

- Sou apenas um inseto, associado ao bom presságio. Mas, o que é um bom presságio?

Esperança aprendeu desde cedo a dar longos saltos e esticar suas asas buscando correntes de ar gentis que a carregassem para outros lugares.

Esperança acreditava em coisas sem sentido: amor, felicidade, paz e alegrias.  Gostava de planícies sem vegetação, desertos sem nenhuma vida e pântanos caudalosos. Deixava-se enamorar por flores sem perfume, plantas carnívoras e predadores venenosos.

Um dia esperança foi tomada por um súbito lampejo, e se atirou de um alto morro direto em um penhasco.

Pobre esperança, não morreu! Machucou uma pata, as antenas e uma de suas asas. Reergue-se com dificuldade, arriscou alguns saltos, mas estava muito ferida.

Deitou-se perto de um cacto e esperou o por- do –sol. Aos poucos adormeceu e sonhou.... sonhou com ventos doces e flores com perfume e mel.

Despertou em meio a muitas dores.... Doce esperança se indagava por que diabos não morreu na queda.  E continuava a se perguntar, mas agora aos berros: -O que diabos é um bom presságio????




3 comentários:

Alexandre Mendes disse...

Ventos doces...flores, perfume e mel...Adorei!!!

Marcos Alves Lopes disse...

Talvez seja por aí, Cacau. O canto "amor" parece ter tomado a face há muito esperada. O sombrio e o trágico são irmãos do humor... irmãos do amor!

Ivan Silva disse...

Tenho medo de presságios... mas sou curioso, às vezes é inevitável.